Aqui você aprende Chinês
Oi China
(21) 2252-0008 | 98181-5968
Depoimentos dos Alunos

Nome: Luiz Carlos Guedes (陆毅凯)
Profissão: Professor do Instituto Militar de Engenharia (IME)


Finalmente, após algumas tentativas frustradas e muita esforço sozinho, encontrei um curso onde os professores não só falam chinês, mas o sabem tão bem como eu sei o português e conseguem dar explicações plausíveis às minhas dúvidas.

As professoras, além de extremamente atenciosas, conseguem entender como pensam os ocidentais e nos proporcionam práticas mais agradáveis e eficazes para a fixação do que "escrever 30 vezes cada caracter da aula de hoje". As aulas combinam de forma equilibrada compreensão e expressão, oral e escrita, incluindo de modo gradual aspectos da cultura chinesa, provérbios e até etimologia dos caractares.

Com material próprio, por elas desenvolvido, conseguem nos convencer que é possível aprender e se comunicar em uma língua tão diferente como o mandarim.

Por conhecê-lo, tive a oportunidade de fazer contato com empresas chinesas em eventos internacionais e hoje já estabelecemos relações comerciais que evoluem de forma muito mais agradável devido à ausência da barreira da língua.

Recomendo enfaticamente o OiChina a todos que desejem aprender seriamente a língua chinesa.



Nome: Leandro Tavares Colodete (李安)
Profissão: Analista de Sistemas, PETROBRAS


Aprender chinês é um grande desafio. Mas é também um grande diferencial. Em vista do crescimento espantoso da China, em poucos anos poderemos ter esse país continental como a próxima grande potência mundial. Durante um curso de introdução ao Comércio Internacional na PETROBRAS, o professor chamou a atenção de todos para esse fato. Haverá muito interesse por aqueles que dominam a língua chinesa, e essa oportunidade precisa ser aproveitada. Para alcançar esse diferencial no futuro, iniciei os estudos no OiChina.

A professora tem ótima didática, adora ensinar e é muito animada. As aulas são muito movimentadas: há conversações, músicas, histórias sobre a cultura chinesa e exercícios para praticar a escrita. A apresentação da sintaxe da linguagem (que é simples) e do novo vocabulário é feita de forma bem equilibrada. Exercitamos muito a fala para buscar a perfeição da pronúncia. E a metodologia da professora para escrita dos ideogramas facilita muito o aprendizado e a fixação. A professora procura fixar a matéria fazendo revisões e passando exercícios para casa.

A professora sempre incentiva muito seus alunos e tem muito carinho por eles. Ela provou que assistindo às aulas e tendo comprometimento e dedicação é possível aprender chinês.



Nome: Flávio Baruzzi Lopes
Profissão: Gerente de TI e Telecomunicações, PETROBRAS


A China tem tomado os noticiários diários por vários motivos. É um país em franco crescimento, é o país que mais investe em educação, grande importador de matéria-prima e exportador de bens e serviços, dentre outros motivos. Acredito que será exigido de nossos filhos aprender Mandarim da mesma forma como nos é exigido hoje falar o Inglês.

Bem, resolvi me preparar. Escolhi a OiChina por vários motivos. OiChina me apresentou a melhor relação entre custo e benefício. A OiChina não me exigiu o pagamento antecipado de vários meses, estratégia de outra instituição que estranhei muito.

Obtive uma recomendação de outro estudante que trabalha na mesma empresa que eu. Ele já estava no segundo ano e me recomendou muitíssimo. Outro motivo é a professora. Além de ser supersimpática e carinhosa, é extremamente competente. Acho muito importante aprender uma língua estrangeira com um nativo. Neste curso, não há professor que não seja chinês. Outro ponto é o material didático. O livro foi escrito pelas professoras do curso e os caracteres de escrita chinesa são apresentados de tal forma a facilitar sua memorização.

O curso utiliza a internet para envio de áudio dos diálogos e palavras recém-inseridas no vocabulário. É um curso que você não só aprende falar Mandarim, mas também aprende a ler e a escrever. Neste curso, você certamente não sairá analfabeto. Em certas ocasiões, os alunos são convidados a participar de festas da comunidade chinesa, onde a cultura é melhor apresentada através de pratos típicos, trajes locais, histórias e canções.

Poderia falar muito mais do OiChina, mas concluo dizendo que não encontrei até o momento alguém que tenha reclamado do curso, muito pelo contrário. Todos os alunos só têm motivos para elogiar.



Nome: Carlos R. S. Milani (米凯)
Profissão: Prof de Relações Internacionais da UERJ
Contato: www.carlosmilani.com.br


Sou professor universitário e pesquisador na área de Relações Internacionais. Trabalho no Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ. Pesquisar sobre a China e entender o seu papel na política internacional nos dias de hoje é um desafio fundamental para os pesquisadores dessa área. Daí a estudar chinês, no entanto, há um longo caminho: hesitei muito antes de começar, pois sempre soube que seria difícil e que exigiria muito esforço e disciplina.

Ao chegar ao OiChina, graças à presença de excelentes professoras (rigorosas e simpáticas!), o aprendizado foi ficando, pouco a pouco, mais fácil e interessante. Estudar um idioma abre portas para a cultura e a história de um país. Claro que tem de estudar muito e, na verdade, um pouquinho todo dia! Inclusive, quanto estive em Xangai a trabalho em 2013, tive a oportunidade de praticar: “我迷路了! 你能帮助我吗?(Estou perdido. Você pode me ajudar?). Essa foi uma das frases que mais usei!

Tenho 47 anos e minha meta é chegar aos 50 falando muito bem, lendo e escrevendo razoavelmente. Quero ler jornais e documentos sobre a política externa chinesa em chinês! Independentemente de sua idade, não hesite mais um segundo: venha estudar chinês no OiChina!



Nome: Fernando Lyra Reis
Profissão: Biomédico acupunturista – Presidente do Sindicato dos Profissionais de Acupuntura do Estado do Rio de Janeiro


Aprender chinês se tornou mais importante que o próprio inglês, face ao inegável crescimento da China. No entanto, em minha área de conhecimento é obrigação, não somente para poder me comunicar melhor com chineses, mas para ler e compreender os hanzi relacionados com a medicina tradicional chinesa, e não depender apenas das traduções. Encontrei no OiChina um curso extremamente didático, e que possibilita ao aluno o aprendizado da escrita e da fala simultaneamente. Estou bastante satisfeito, já compreendo muitas coisas, leio e consigo estabelecer alguns diálogos. Recentemente, encontrei um amigo que retornou da China, após viver lá durante 6 meses, e que quando soube que eu estava aprendendo chinês no OiChina, me disse que nem na China se ensina tão bem. Acredito nisso, já que além de serem professoras chinesas, elas também conhecem o português, e sabem exigir a seriedade necessária para este aprendizado, além de oferecerem o melhor caminho para isso.



Nome: Bernardo Tinoco
Profissão: Estudante (14 anos)


Há tempos eu procurava aprender mandarim, porém, o fato de morar em Itaipava dificultava muito a procura. Passei a procurar então na internet e acabei encontrando o OiChina; o próximo passo era conhecer melhor o local onde eu teria as aulas. Acabou que me matriculei no mesmo dia que visitei o curso e acho que foi uma das melhores decisões que já tomei.

Hoje eu já não vejo o curso como um compromisso, mas sim como diversão e distração, uma forma de entretenimento. Na minha opinião, esse conforto é causado pelo modo que as professoras recebem e tratam os alunos, fazendo com que as aulas sejam muito mais interativas e animadas e com que os alunos formem uma "família”. Então aprender mandarim acaba se tornando parte das nossas vidas, e, além disso, acaba nos proporcionando o conhecimento de uma cultura milenar.

Tenho em mente continuar estudando o mandarim, e depois de acabar os estudos começar o curso de relações internacionais. Também tenho como planos ir à China aprimorar meus estudos e quem sabe até trabalhar.

Por fim, gostaria de agradecer ao OiChina e aos que me acompanham nessa aventura, além do apoio inesgotável dos meus pais e minha avó.



Nome: Luiz Carlos Joels
Profissão: Engenheiro florestal


Convenhamos, aprender mandarim não é uma tarefa corriqueira. Para ser bem sucedido, é necessário ter ferramentas adequadas e bons parceiros. No OiChina, encontrei os dois. A professora mantém-nos atentos durante toda a aula, com suas explicações que são janelas para o pensamento chinês e com seu bom humor. Ao término de cada aula, nosso domínio do idioma é maior. Em casa, usamos o excelente material didático que nos ajuda a fixar o que aprendemos em classe. A parte administrativa do curso é eficiente e sem burocracia. Por fim, tive a sorte de encontrar uma turma motivada e simpática, o que faz as aulas serem muito agradáveis.

Aí você pode me perguntar:

- Por que você estuda chinês?

E eu teria que lhe responder.

- 因为我喜欢中国文化和中国历史。



Nome: Claudio Moraes
Profissão: Consultor FGV - Diretoria de Planejamento Estratégico e Inovação


Tenho uma grande paixão por línguas estrangeiras, e sempre me interessei por elas. Aprendi primeiro francês, depois inglês, arrisquei-me sem sucesso no alemão, e então estudei italiano por motivos de trabalho.

Após uma sugestão bem vinda de um profissional de alto gabarito busquei um curso de mandarim e tive a grata fortuna de me matricular na turma do OiChina na FGV. De pronto me encantei com a língua, com seu som, suas letras, com a competência da professora, e com o entusiasmo da turma. Da forma como é ensinado no OiChina, o mandarim passa a fazer parte da nossa rotina diária, e nos dá sempre vontade de querer saber mais e de poder construir diálogos práticos e úteis para todos nós. O desafio de estudar uma língua completamente diferente da nossa, com as estruturas e as especificidades do mandarim, é no OiChina uma aventura instigante que se transforma numa aprazível descoberta sobre a cultura chinesa e sobre os costumes desta rica civilização. Com alegria e empolgação cantamos canções tradicionais chinesas, reproduzimos diálogos interessantes e práticos e fazemos de nossos encontros momentos agradáveis de aprendizado e lazer.



Nome: Luciane Campos Lessa
Profissão: Consultora FGV - Diretoria de Planejamento Estratégico e Inovação


Um dia, após uma reunião de trabalho na qual a China (e suas relações com o Brasil e com o mundo) foi um assunto comentado de forma bastante otimista, resolvi me matricular em um curso de Mandarim. A minha primeira motivação foi me capacitar profissionalmente, porém, ao escolher estudar no curso OiChina, não sabia ainda que o meu interesse se expandiria para além do âmbito profissional...

Quando iniciei o curso me vi tomada de encantamento! Aprender a desenhar os ideogramas e a lê-los é uma experiência de conhecimento absolutamente enriquecedora e diferente de tudo o que eu já havia experimentado. Como a lógica é outra, diferente da lógica de escrita da Língua Portuguesa, o estudo representa não só uma ginástica intensiva do cérebro como também nos possibilita mergulhar em uma cultura milenar muito rica e, com isso, exercitar novas formas de pensar.

A metodologia utilizada facilita bastante o aprendizado, pois adota um passo a passo didático que consegue transformar algo que a princípio nos parece complexo em simples. E, para além de tudo isso, ter aulas com professoras do OiChina, é uma alegria extra, pois elas conseguem transmitir para nós alunos o amor que elas têm pelo trabalho!

Sou muito grata ao Oi China!



Nome: Raquel Ribeiro Gomes Pimenta (韩琪)
Profissão: Engenheira de Petróleo Júnior do Petrobras


Eu adoro as aulas do OiChina, em 3 meses de estudo da lingua chinesa consigo escrever mais de 100 caracteres chineses e falar mais palavras ainda, as aulas são contagiantes e fico triste quando não vou a aula. Aliás só falto aula em caso de doença ou férias.
Eu comecei a estudar chinês porque morei na China por dois anos e não consegui aprender nada mais do que o suficiente para andar de táxi, comer e comprar o básico, achava a língua muito complicada, difícil e achava que não seria capaz de aprender a falar a língua e muito menos ler em chinês, aquilo me chateava demais.
Fiz amizades com pessoas da Rússia, da África, etc que falavam fluentemente, e eu a única da turma com diploma universitário e emprego de engenheira internacional não conseguia me comunicar...uma vergonha...Eu até tentei estudar com uma professora contratada no trabalho mas não conseguia aprender, os colegas de trabalho também me ensinavam mas quanto mais difícil ficava mais eu me desinteressava em aprender.

Quatro anos depois do acontecido resolvi encarar o desafio de aprender Mandarim.

A verdade é que China poucas pessoas falam inglês, eu morei em Shekou que é uma zona econômica mas mesmo assim, na maioria dos restaurantes, lojas, supermercados, rodoviárias, aeroportos, etc ninguém fala inglês....eu lembro de uma viagem de 24 horas de ônibus que fiz pro Sul da China onde fiz voto de silencio forcado, era complicado ate para desenrolar os gestos já que o que parece obvio para você em sua cultura não é exatamente claro nas outras...no final sobrevivi literalmente da curiosidade e generosidade dos chineses com os estrangeiros.

Agora no OiChina descobri duas coisas sobre o estudo do Mandarim: com a metodologia certa da professora e dedicação pessoal você consegue aprender Mandarim. As duas coisas me faltaram quando vivi na terra do sol nascente e eu perdi uma excelente oportunidade de aprendizado. Agora mais madura e experiente não perco nem uma aula.



Nome: Carolina Pontual Colasanti (高丽娜)
Profissão: Diretora de Revenue Management


Nunca vou me esquecer do meu primeiro passeio pelas ruas de Guangzhou... Os ouvidos registravam uma mistura de cantonês e mandarim, enquanto que os olhos se perdiam nos ideogramas, muitos ideogramas! Uma senhora se aproximou de mim e me contou uma história longuissima... Eu não entendi uma palavra...

Passei um pouco mais de dois anos trabalhando na China: um ano em Guangzhou e um ano em Beijing. Falo varias linguas fluentemente, inclusive o ingles e o alemao, mas logo percebi que nenhuma delas me ajudaria no dia-a-dia. Como e importante dominar pelo menos um nivel basico de chines para se sobreviver na China! Enquanto que a rotina e os colegas de trabalho me ensinaram a me virar com dialogos simples, o mundo dos ideogramas continuou um misterio para mim. E eles, e claro, sempre presentes em placas de transito, letreiros de lojas, quadros de aviso, cardapios, karaoke (febre nacional) ou qualquer lugar que eu olhasse, tornando coisas simples do dia-a-dia em complicadas.

De volta ao Rio de Janeiro, resolvi vencer esse receio, e fiquei muito feliz de ter encontrado OiChina. Seu método de ensino facilita o aprendizado, e em pouco mais de 3 semanas já cobrimos aproximadamente 80 ideogramas. É uma delícia ver que, aos poucos, as palavras, frases e seus sentidos vão se formando. Hoje, acredito piamente que não basta so falar chinês, e que a escrita e importantissima para um melhor entendimento de sua cultura e tradições.

Obrigada OiChina!



Nome: Laís Senna (沈娜)
Profissão: Estudante de direito da UNIRIO


Terminei o livro básico de mandarim no OiChina e vim morar 6 meses em Portugal para estudar Direito. Para não perder o contato com a língua, me matriculei no curso de mandarim oferecido pela Universidade Coimbra onde estudo. Tive um pouco de medo de não conseguir acompanhar a turma, pois era a turma de nível mais alto. No entanto, logo na primeira aula senti bastante diferença em relação a minha turma no OiChina. Sempre achei o OiChina bom, mas agora percebi COMO É BOM.

A primeira diferença é que os alunos da Coimbra, mesmo tendo pelo menos 1 ano e meio de curso, falam muito mais português que mandarim na aula. Até mesmo a professora fala português a maior parte do tempo. A maioria dos alunos não se preocupam com os tons e raramente são corrigidos pela professora, então os alunos acabam falando errado. Agora eu entendi por que a professora do OiChina insistia tanto que a base é o mais importante.

Algo que me causou dificuldade é que a professora, mesmo ao ensinar como escrever um 汉字 novo, escreve muito rápido no quadro, de modo que fica difícil para os alunos entenderem a maneiro correta de escrevê-lo.

No OiChina, a professora costuma nos explicar o significado dos caracteres separadamente para que nós percebamos os significados das palavras. Acho isso muito bom para entender os ideogramas. Aqui, geralmente, a professora escreve a palavra e o seu significado, sem muitas explicações.

Sinto falta da minha turma do OiChina, que sempre pergunta além do que a professora ensina, e também das musiquinhas que a professora nos mostrava. Vou estudar bastante, para continuar acompanhando o ritmo do OiChina quando eu voltar.



Nome: Aline Ribeiro
Profissão: Estudante de engenharia da UERJ


Hoje em dia, a competição no mercado de trabalho é grande e estar qualificado para entrar no mesmo, é essencial. A partir deste princípio, decidi aprender novas línguas, o mandarim foi uma delas, e posso dizer com muita certeza que não me arrependo nem um segundo de ter escolhido o Oichina. 

A princípio, eu não tinha costume de chegar no horário correto mas no OiChina era inaceitável chegar atrasado, também não tinha costume de fazer todos os trabalho de casa, mas no curso de mandarim era diferente. Acabei criando mais responsabilidade e ficando mais pontual.

Eu já estudei em muitos cursos bem famosos, não só do Brasil mas também de outros países, e digo com certeza que o OiChina foi o melhor deles. A energia em sala de aula é incrível, o ambiente familiar, amigo e acolhedor que as professoras compõem fazem com que, mesmo em um sábado de manhã, você tenha vontade de ir à aula, pois tem certeza que irá se divertir bastante e aprender mais ainda. 

No futuro? Quero aprender mais e mais mandarim para poder ir à China e conversar bastante com chineses, sem passar vergonha - do jeitinho que o OiChina ensinou.



Nome: Susanna Dias de Faria
Profissão: Estudante de Letras


Descobri o curso pela internet e fui me matricular, com um pouco de medo - claro! - nesse dia um aluno me falou muito bem sobre o curso e me tranquilizei!

Hoje, estou no curso há praticamente 6 meses e posso dizer que o curso é muito bom! As professoras são excelentes e exigentes, sempre passando exercícios, ditados, nos fazendo entender os ideogramas e, pouco a pouco, a cultura chinesa. 

Nesses 6 meses já aprendi a cantar uma música tradicional chinesa "大中国" e já reconheço diversos ideogramas (já perdi as contas de quantos ideogramas já aprendi!). É uma sensação incrível quando vejo algo em chinês e reconheço algum ideograma, não só um ideograma solto mas consigo até ler e escrever textos, é o máximo!

Quando me matriculei achei o valor do curso um pouco salgado, mas levando em consideração a excelência do curso e o fato de não ser uma língua comum vale muito a pena investir. E não apenas investir financeiramente, mas se esforçar para aprender. Já fiz uma prova e porque tirei 10,0 recebo desconto na mensalidade! =)

É uma língua fascinante, mas requer esforço. Estudo todos os dias (pronúncia e escrita) e procuro tirar minhas dúvidas semanalmente, e as professoras estão sempre dispostas a ajudar. Vale super a pena! A cada dia tenho mais certeza de que escolhi o melhor curso que poderia para aprender Mandarim! 谢谢, Oi China 中文学校。 谢谢老师!



Nome: Antonio Carlos Jatobá
Profissão: Business Analysis


Agradeço muito aos meus Deuses por ter me guiado até OiChina e de ter tido a grande oportunidade de conhecer este Templo do aprendizado e transformação.

Aprendemos não só um idioma, mas seu espirito cultural de sermos disciplinados, persistentes, compromissados, pontuais, organizados, metódicos e detalhistas.

Transformamos nossas duvidas em certezas de que temos as melhores mestras e que podemos ser os melhores discípulos, e conquistando a confiança em nós mesmo.

Sou o mais idoso, tenho 56 anos, de uma turma de jovens, entre 15 e 33 anos, e esta metamorfose eu presenciei em mim e nos meus jovens colegas, em apenas nove meses que temos de curso.



Nome: Evilane Cerqueira (艾薇)
Profissão: Médica veterinária e sanitarista


Sou graduada na UFRRJ e exerço minha profissão como funcionária pública e assessoria técnica. Durante as atividades de trabalho, tenho contato com chineses e que na maioria das vezes, não conseguem se comunicar e entender as adequações necessárias e previstas na Legislação Sanitária do nosso país.

Há muito tempo, tenho interesse em aprender Mandarim para estas situações difíceis de comunicação e todas as vezes que eu manifestava em procurar um curso para aprendê-las, as opiniões eram sempre contrárias e desanimadoras, sob argumentos de se tratar de uma língua muito difícil e complicada, por haver muitos dialetos.

Consegui encontrar o curso OiChina e já estou lendo e escrevendo muitas palavras, assim com participando das conversações. Os meus amigos ficam surpresos e até eu mesma, com o meu desempenho. Lamento não ter mais tempo disponível para ter uma dedicação maior.

A professora é muito alegre, tem muita paciência e transmite os conhecimentos de uma forma tranqüila, com seqüência, enfim, o seu método de ensinar, tem uma boa didática. No curso também são passados conhecimentos sobre a cultura chinesa e suas tradições. Estou adorando e até pensando em conhecer de perto este país tão fascinante!



Nome: Cristiano Barros Barreto (白海涛)
Profissão: Economista


Eu já estudo em aulas particulares com a profa. Liou do OiChina há 2 anos. Neste período o mundo todo da China se abriu para mim, pois é através do conhecimento da língua que realmente conseguimos um acesso à cultura, história, artes e geografia de um país. E que país!

Há muito tempo tive vontade de aprender o mandarim à fundo, desde quando há dez anos atráves visitei a China em uma longa viagem. O fascínio dos caracteres chineses e as particularidades da língua, assim como a variedade e riqueza da cultura chinesa sempre me atraíram.

E é com a Profa. Liou que eu estou conseguindo aos poucos penetrar s nesta língua tão fascinante, que parece tão complicada (e é mesmo!), e somente sob a experiente orientação da Profa. Liou eu tenho desvendado os mistérios do mandarim, uma vivência muito gratificante.



Nome: Daniel Carvalho (大牛)
Profissão: Responsável de Importação e Exportação


Meu nome é Daniel e trabalho em uma empresa de transporte marítimo que possui diversos escritórios distribuídos em diversos países pelo mundo. Um desses escritórios fica em Xangai e há 5 meses foi confirmada a minha transfêrencia do Rio de Janeiro para Xangai.

Foi quando resolvi procurar um curso de Mandarim para que eu pudesse desenvolver pelo menos o básico desta, então rotulada por mim, "impossível língua", antes da minha transferência.

Atráves de indicações cheguei ao OiChina e, em poucos meses de aula, percebi que a língua chinesa apesar de complicada, não é impossível de se aprender. Com aulas muito bem lecionadas pela, combinando em partes exatas a fonética, a compreensão e a escrita da lingua, posso afirmar que em poucos meses estarei muito seguro para minha viagem à China, indo muito além do básico como imaginava no início.

A quem interessar aprender sobre a cultura, historia e a língua Chinesa, não tenha dúvida, OiChina é a melhor solução!



Nome: Barbara Hasselmann (白宝)
Profissão: Secretária Executiva Trilíngüe


Ano retrasado, na ânsia de começar a aprender por necessidade o idioma chinês - como não tinha nenhum conhecimento - optei por uma escola próxima a minha casa. Após essa tentativa frustrada de estudar quase dois anos seguidos com um professor que não era nativo, unicamente usando a metodologia pinyin (não ensinam a escrever o ideograma, que é imprescindível) e o fato dos meus exercícios não serem cobrados e nem corrigidos, na verdade, perdendo tempo e dinheiro... consegui encontrar finalmente o curso perfeito - que concilia método, didática, profissionalismo e dedicação!!! Sinto-me agora super feliz por já estar lendo e escrevendo muitos ideogramas. Percebi que a língua chinesa não é nenhum bicho papão e que não basta só falar, a escrita é essencial para um melhor entendimento de sua cultura, história e tradições.

Como secretária e responsável pelos eventos da empresa onde trabalho, afirmo que o mandarim é a bola da vez para quem espera se diferenciar no mercado de trabalho. Sem dúvida, o inglês é a garrafa de água que todo profissional precisa levar para se aventurar no deserto dos negócios e, hoje em dia, o mandarim é o isopor para mantê-la gelada.

千里之行,始于足下

A journey of a thousand miles began with a single step

Muito obrigada OiChina!



Nome: John Wilkinson
Profissão: Professor doutorado da UFFRJ


Ano passado eu e a minha esposa fomos para China durante um mês e visitamos muitas cidades do Norte ao Sul viajando de avião, de trem, de ônibus e de carro. Antes de ir, eu fiz um curso intensivo de um mês de “pinyin” com a professora do OiChina.

“Pinyin” é uma ótima introdução ao Mandarim porque faz uma tradução fonética dos caracteres chineses e você pode estudar como se fosse uma língua estrangeira qualquer. Aprendi muitas frases e talvez mais importante os sons porque pinyin coloca acentos acima das palavras indicando a sua tonalidade. Foi muito útil na viagem e minha esposa, que não tinha feito o curso, rapidamente adotou frases como “duoshao qian” (how much?) e “cesuo zai narli” (onde fica o banheiro?). Não só isso. O pinyin ajuda você a estabelecer aquele tão importante “primeiro contato” como os Chineses seja em transporte, hotéis, restaurantes, lojas ou andando nas ruas.

Mas a China não é pinyin e por todo lado enfrentamos esse mistério do “hanzi”, o Chinês escrito – nomes de lojas, direções, menus, manchetes de jornais – que ficou como uma grande barreira dizendo “daqui você não passa”. Assim, na nossa volta, resolvi enfrentar a fera e comecei a aprender “a lingua verdadeira”. Não está sendo fácil. Os pictogramas, onde você pode adivinhar a sentido a partir do desenho, são poucas, como também as dicas fonéticas. Exige muito treino, o que para nós hoje em dia, correndo sempre contra o tempo, é difícil. Ainda estou nos meus primeiros passos, mas estou começando a automatizar umas dezenas de caracteres e posso até escrever uma frase inteira.

Sempre fiquei duvidando que um chinês podia anotar uma aula naqueles caracteres tão complicados, mas agora estou vendo que talvez seja possível mesmo. Para mim, o prazer do senso de avanço me veio no momento que podia ler pela primeira vez um manchete num jornal chinês. A partir daí sabia que não tinha volta e vou dominar essa fera no OiChina!



Nome: Vera Todor Rossini (惠兰)
Profissão: na área de administração


Meu nome é Vera Todor Rossini, sou casada com dois filhos e tenho 66 anos. Sou aposentada da IBM-Brasil, mas dou aulas de inglês e de português para estrangeiros; e o que começou como brincadeira virou sério e eis que já estudo chinês há algum tempo no outro curso. Vim ao OiChina em meados de 2009 e conheci a professora que é extremamente dedicada, alegre mas severa e exigente ao mesmo tempo. Tenho mais facilidade em ler e escrever, mas bastante dificuldade em entender e falar...

O curso OiChina está me ajudando muito em todos os aspectos, mas particularmente nesses. Nos demais cursos de mandarim não tinha a oportunidade de falar e ouvir tanto como aqui. Por tudo, tenho recomendado este curso às pessoas amigas que querem estudar chinês.
Todos os direitos reservados - oichina.com.br © 2016 - Desenvolvimento: Bah Soluções